Modelagem 3D sem exageros

Vamos falar sobre um problema recorrente nas modelagens tridimensionais. Os programas de modelagem simulam um ambiente 3D no qual, teoricamente, você pode modelar o que desejar e na dimensão que desejar. Você poderia, por exemplo, modelar um edifício multifamiliar com 20 pavimentos com todos os apartamentos detalhados desde o parafuso de fixação das portas até os quarteirões que cercam o prédio. Isso pode acontecer na teoria, mas vários fatores causam impedimentos na aplicação prática.

Quando você for modelar algum objeto a primeira pergunta a ser feita é: qual é o objetivo da modelagem? Apresentar uma perspectiva conceitual? Apresentar uma perspectiva realista? Estudar a estrutura de um edifício? Fazer um estudo de intervenção urbana? Dependendo do objetivo você terá que assumir um maior ou menor nível de detalhamento em sua modelagem. Por exemplo, se você está fazendo o projeto para um novo modelo de esquadria então é extremamente recomendável que todos os elementos de sustentação de vidros, venezianas, batedores e outros, sejam modelados, mas se essa janela é uma entre as centenas de um hotel, então ela deve ter o mínimo de elementos possível.

As alternativas são grandes e as variáveis também. Desta forma seguem algumas dicas que podem te ajudar.

  • Não modele elementos a menos que eles sejam fundamentais para a imagem que você deseja mostrar.
  • Quanto mais distante o elemento ficar na cena menos detalhes ele deverá ter. Em uma cena urbana, por exemplo, os edifícios do fundo devem ser somente prismas puros com, por exemplo, uma imagem de fachada aplicada às suas faces.
  • Quando for modelar qualquer tipo de edificação tente observar uma situação real e ver o que realmente você percebe de cada cena.
  • Use mapas de textura ou mapas procedurais para simular cerâmicas, cobogós, telhados, vegetação etc. Evite modelar estes elementos a menos que seja sua única alternativa. A quantidade de faces e arestas vai sobrecarregar seu arquivo.
  • Evite usar elementos tridimensionais como árvores, tecidos, almofadas, carros etc. Tente substituí-los por imagens que causem a mesma ilusão tridimensional. A menos que seu computador seja muito potente esses elementos irão causar bastante transtorno, mas há casos que é necessário o uso de objetos 3D detalhados e também há casos em que o software oferece recursos leves para produzir estes objetos. Avalie cada situação com cuidado. O segredo é não exagerar.
  • Tenha sempre em mente que por mais cuidadoso que você seja na modelagem, sempre haverá necessidade de ajustes posteriores em editores de imagem. Sendo assim, explore essa opção como alternativa para evitar a modelagem de alguns elementos ou a aplicação de alguns efeitos.
  • Quanto mais realista você deseje que sua cena se torne menos modelagem você deve fazer e mais efeitos de ilusão (mapas de opacidade, reflexos, mapas de deformação, montagens fotográficas, etc) devem ser aplicados. Isso se deve porque quando maior é o número de faces e arestas maior será o tempo de renderização.
  • Experimente as imagens NPR assim como as mostradas aqui. Elas são mais fáceis e rápidas de gerar e são perfeitamente capazes de representar seu projeto.