Pular para o conteúdo principal

Desenhos de Oscar Niemeyer


Caros leitores, convido-os a lerem esse trecho do artigo "COMO NASCE A ARQUITETURA" publicado originalmente na revista Piracema e que faz parte do livro Conversa de Arquiteto, de Oscar Niemeyer. Nele o arquiteto descreve de forma rápida como concebe seus projetos. Destaquei essa parte do texto para que possamos observar e pensar sobre a presença do desenho na criação e defesa das ideias que cercam um projeto.

Muitas vezes tenho a impressão que profissionais e estudantes consideram o ato de desenhar como simplesmente a ação de representar alguma coisa o que, em diversas situações, é verdade, mas na criação da arquitetura, não é totalmente. Durante o processo criativo o desenho pode e deve ser usado como instrumento de reflexão e de registro de ideias. A sequência de croquis, suas sobreposições, discussões e seu aperfeiçoamento são exercícios fundamentais na busca da solução de um problema arquitetônico. Problema este que não deve ser estanque em seu primeiro ímpeto e sim amadurecido na medida em que os riscos avançam em cima do papel ou até mesmo da tela de um tablet ou computador. Não devemos desenhar por desenhar. O desenho (analógico ou eletrônico) deve estar cercado da saudável inquietação projetual.

Dessa forma, enquanto lemos o texto abaixo apreciamos uma série de croquis de Oscar Niemeyer publicados no site ARCOWEB em 2012, pensemos no assunto.

"De um traço nasce a arquitetura. E quando ele é bonito e cria surpresa, ela pode atingir, sendo bem conduzida, o nível superior de uma obra de arte.
Mas essa fase inicial exige por antecipação que o arquiteto se integre nos problemas tão variados do trabalho a executar. 
A natureza do terreno, o ambiente em que será inserida a construção, o sentido econômico que ela representa, a orientação etc.
E somente depois de se inteirar de tudo isso é que ele começa a desenhar, fazendo croquis, na procura da idéia desejada.
É nesse momento de imaginação e fantasia que a solução aparece e nela o arquiteto se detém entusiasmado como alguém que encontrou um diamante e o examina com a a esperança de ser verdadeiro e, lapidado, transformar-se numa bela pedra preciosa.
E os desenhos prosseguem. O arquiteto verifica então se a solução atende internamente ao programa fornecido, se os técnicos do concreto armado aceitam o sistema estrutural imaginado, se o dimensionamento corresponde às seções fixadas, se tudo pode funcionar bem.
E se o método é adotado, ele começa então a redigir um texto explicativo, procurando sentir se lhe faltam argumentos, que alguma coisa deve no projeto ser acrescentada..." (Conversa de Arquiteto -  Oscar Niemeyer)











Postagens mais visitadas deste blog

Projeto de Arquitetura de Interiores com SketchUp - Parte 1

Em julho/2013 ministrei aulas para a segunda turma do curso de Especialização em Arquitetura de Interiores da Unifor. Meu módulo se chama Representação e Apresentação de Projetos de Arquitetura de Interiores. Nessa ocasião, depois de passarmos pela parte teórica, desafiei os alunos a abandonarem as técnicas mais tradicionais de representação usadas em seus escritórios e convidei-os a focar no uso de croquis e de modelos 3D do SketchUp.
Fizemos um projeto fictício de uma pequena cozinha e os alunos foram orientados a seguir o seguinte processo de trabalho: projetar o ambiente desenhando, à mão livre, os croquis da planta e de quatro cortes com aplicação de cores e algumas texturas. Esses croquis deveriam ser levados diretamente ao SketchUp para modelagem sem o uso de desenhos DWG bidimensionais.  Na verdade, durante todo o processo, a turma foi instruída a não usar o AutoCAD em nenhuma ação. Em substituição ao programa da Autodesk, fiz rápida explanação de como usar o programa Layout …

Dica SketchUp - Imagens em escala!

O SketchUp, em todas as suas versões (inclusive a online), permite que você exporte imagens PNG de qualquer visualização gravada em suas cenas. Um problema deste tipo de geração de imagem é o fato das mesmas não serem exportadas em escala.

Neste pequeno tutorial veremos como gerar a imagem de uma vista ortogonal de uma escada (Imagem 1) na escala de 1:25. Depois importaremos esta imagem para o Inkscape colocando-a em uma prancha A4. O Inkscape, para quem não conhece, pode ser considerado a "versão opensource" do Corel Draw/Illustrator sendo de uso livre e gratuito, mas quem preferir pode usar qualquer programa similar. Para complementar este tutorial você também pode assistir ao vídeo abaixo!




Primeiro prepare uma cena mostrando uma vista ortográfica de seu modelo como mostrado na Imagem 2. Não esqueça de desativar o modo de visualização em perspectiva e ativar a projeção paralela (Menu: Camera - Parallel Projection).

Coloque seu desenho na visualização máxima que sua te…

Desenho arquitetônico: cortes em uma residência térrea - Parte 2

Aqui você verá o processo de detalhamento dos elementos do telhado tomando como base os cortes genéricos feitos anteriormente. Vejam a lista de vídeos abaixo e bom proveito! Vídeo Aulas Desenho de cortes - parte 5 Desenho de cortes - parte 6