Pular para o conteúdo principal

Croquis - A liberdade do traço


Quem acompanha o blog já percebeu que sempre estou apresentando diversos tipos de desenho que faço durante minhas atividades profissionais ou recreativas. Costumo dividir minha produção gráfica em três categorias básicas que usam o croqui como principal forma de representação: croquis de projeto, desenhos feitos em sala de aula e desenhos de observação. Gostaria de conversar um pouco sobre eles.

O ponto comum que percebo em todos eles é a liberdade de expressão e representação. Vejam que nenhum deles têm compromisso com qualquer refinamento gráfico. O único compromisso fixo é com sua intenção de explicitar ideias, conceitos e/ou de mostrar minha interpretação de uma realidade qualquer. Para esclarecer um pouco melhor tudo isso e dar alguma orientação vamos tentar mostrar alguns exemplos:

Técnicas e mídia

Use as que te deixem mais confortável, mas tente experimentar várias. Nos meus desenhos você verá que muitos foram feitos, por exemplo, com canetas esferográficas comuns sobre papel sulfite. Em outros casos usei materiais mais específicos como pastel seco, canetas nanquim descartáveis, lápis 6B, 2B, lapiseira, lápis de cor normal, aquarelado, dentre outros. Experimente, tente encontrar o material e a mídia que mais se encaixam com suas necessidades e habilidades. Converse com colegas e peça sugestões, mas principalmente tente encontrar a mídia que te deixe mais a vontade e confiante.
Exercício de sala de aula - Pincel para quadro branco sobre laminado melamínico e pintura digital em GIMP

Tipos de desenho

Os desenhos são dos mais diversos tipos e finalidades. Plantas, cortes, fachadas, perspectivas de objetos, ambientes urbanos, detalhes arquitetônicos, edifícios etc. Desenhar sempre te dará um conhecimento mais aprofundado daquilo que foi representado. Recomendo desenhar de tudo, mas tentando manter a objetividade.

Estudo para residência unifamiliar - Unipin sobre papel sulfite e pintura digital com Sketchbool Pro
    Estudo para residência unifamiliar - Unipin sobre papel sulfite e pintura digital com Sketchbool Pro

      Traço

      O traço é o que dará personalidade e unicidade ao seu desenho. Ele pode ser solto, irregular, pesado, leve etc. O traço pode fazer o papel da textura, das tonalidades e/ou das arestas. Tudo depende de sua habilidade com o instrumento e do seu amadurecimento gráfico. Desenhe bastante. Com o tempo você perceberá uma nítida evolução que acontecerá naturalmente. Veja, por exemplo, nesta postagem, meu próprio processo de evolução.


      Exercício de desenho de observação - Lapiseira sobre papel

      Acabamentos

      Totalmente livres. Os materiais são os mais diversos e notem que os acabamentos dos desenhos estão longe de serem sofisticados. O importante é que o croqui passe a mensagem de maneira rápida, eficiente e objetiva.
      Estudo para reforma de residência - Unipin sobre papel sulfite e pintura digital com GIMP

        Temas

        São os mais diversos. No meu caso vão desde cenas imaginadas até cenas reais que capturei in loco. No caso dos projetos o tema obviamente será o do edifício em questão, mas, dentro deste, diversos subtemas podem surgir. Você poderá fazer o croqui de uma casa e dos detalhes construtivos de sua escada, de seu telhado, piscina etc. Aqui é muito importante a pesquisa. Quando mais você souber sobre o tema mais legitimidade terão seus desenhos.

        Vista do Porto do Mucuripe - Unipion sobre papel texturizado e pintura em lápis de cor aquarelável

        Escala e proporção

        São fundamentais. Usando instrumentos de medida ou não, a proporção entre os elementos tem que ser mantida o mais fiel possível. Aqui é importante não confundir proporção com exatidão. O seu desenho pode ser feito totalmente de forma intuitiva e livre, mas as relações dimensionais entre os elementos devem ser respeitadas. Nos croquis de projetos quando estou desenhando cortes, plantas e fachadas, costumo usar o escalímetro apesar de também usar o desenho à mão livre.
        Então é isso! Nada de inibição ou de preocupações excessivas na hora de desenhar croquis. Liberdade é a palavra chave. Aproveitem!

        Ford 1929 desenhado na exposição mensal de automóveis antigos - Unipin sobre papel texturizado

        Postagens mais visitadas deste blog

        Projeto de Arquitetura de Interiores com SketchUp - Parte 1

        Em julho/2013 ministrei aulas para a segunda turma do curso de Especialização em Arquitetura de Interiores da Unifor. Meu módulo se chama Representação e Apresentação de Projetos de Arquitetura de Interiores. Nessa ocasião, depois de passarmos pela parte teórica, desafiei os alunos a abandonarem as técnicas mais tradicionais de representação usadas em seus escritórios e convidei-os a focar no uso de croquis e de modelos 3D do SketchUp.
        Fizemos um projeto fictício de uma pequena cozinha e os alunos foram orientados a seguir o seguinte processo de trabalho: projetar o ambiente desenhando, à mão livre, os croquis da planta e de quatro cortes com aplicação de cores e algumas texturas. Esses croquis deveriam ser levados diretamente ao SketchUp para modelagem sem o uso de desenhos DWG bidimensionais.  Na verdade, durante todo o processo, a turma foi instruída a não usar o AutoCAD em nenhuma ação. Em substituição ao programa da Autodesk, fiz rápida explanação de como usar o programa Layout …

        Dica SketchUp - Imagens em escala!

        O SketchUp, em todas as suas versões (inclusive a online), permite que você exporte imagens PNG de qualquer visualização gravada em suas cenas. Um problema deste tipo de geração de imagem é o fato das mesmas não serem exportadas em escala.

        Neste pequeno tutorial veremos como gerar a imagem de uma vista ortogonal de uma escada (Imagem 1) na escala de 1:25. Depois importaremos esta imagem para o Inkscape colocando-a em uma prancha A4. O Inkscape, para quem não conhece, pode ser considerado a "versão opensource" do Corel Draw/Illustrator sendo de uso livre e gratuito, mas quem preferir pode usar qualquer programa similar. Para complementar este tutorial você também pode assistir ao vídeo abaixo!




        Primeiro prepare uma cena mostrando uma vista ortográfica de seu modelo como mostrado na Imagem 2. Não esqueça de desativar o modo de visualização em perspectiva e ativar a projeção paralela (Menu: Camera - Parallel Projection).

        Coloque seu desenho na visualização máxima que sua te…

        Desenho arquitetônico: cortes em uma residência térrea - Parte 2

        Aqui você verá o processo de detalhamento dos elementos do telhado tomando como base os cortes genéricos feitos anteriormente. Vejam a lista de vídeos abaixo e bom proveito! Vídeo Aulas Desenho de cortes - parte 5 Desenho de cortes - parte 6