Prancha em desenho à mão livre a partir de base volumétrica


No dia 18/11/2016, atendendo ao gentil convite da Profa. Larissa Lins, coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo da UNINASSAU em Parnaíba - PI, ministrei um minicurso e uma palestra sobre desenho à mão livre aplicado à arquitetura. Nos dois momentos tentei passar, de forma rápida e objetiva, quais seriam as possibilidades do uso desse instrumento de representação no cenário atual no qual ferramentas computacionais compartilham espaço com as analógicas.

A proposta principal foi mostrar que não precisamos adotar nenhum tipo de discurso em defesa de qual técnica é melhor ou mais adequada ao processo de projeto. Na minha opinião, todas tem espaço e podem colaborar no que suas características tem de melhor. Sendo assim propus o exercício que descrevo aqui. Fizemos um rápido estudo de um local de bate papo em uma praça composto simplesmente por dois bancos e uma estrutura com pérgolas. O objetivo era mostrar que, a partir de base volumétrica feita com recursos computacionais, o desenho à mão livre poderia entrar como elemento de definições projetuais mais aprofundadas e de produção de um desenho de apresentação. 

Todos os meus desenhos foram produzidos no iPad, mas os alunos usaram papel manteiga, canetas nanquim e lápis de cor. A base volumétrica foi confeccionada nos aplicativos Concepts e FormIt e a prancha final colorida, no Procreate. O vídeo acelerado mostrando o processo pode ser visto clicando aqui. As imagens abaixo ilustram o processo trabalhado com os alunos. Espero que gostem!

Base linear com geometria simplificada e perspectiva volumétrica - Concepts e FormIt da Autodesk

Definição dos detalhes da proposta - Esboço à lápis - Procreate

Preparação do desenho de apresentação - Base linear  à caneta - Procreate

Acabamento final colorido - Ferramenta marcador - Procreate

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...