Croquis - A liberdade do traço


Quem já teve a curiosidade de clicar na aba chamada DESENHANDO do menu superior do blog viu uma coleção de diversos desenhos que fiz durante minhas atividades profissionais ou recreativas ao longo dos últimos anos.
Existem três coleções que usam o croqui como principal forma de representação gráfica e gostaria de conversar um pouco sobre eles. Vocês verão diversos croquis para estudos de projetos, para minhas aulas ou feitos na rua, como exercício de observação.



O ponto comum a todos eles é a liberdade. Vejam que nenhum deles têm compromisso com qualquer refinamento gráfico. O único compromisso fixo é com sua vontade de se expressar graficamente. Vamos explicar isso com alguns exemplos:
  • Técnicas e mídia - São as que você quiser! Nos meus desenhos você verá que muitos foram feitos, por exemplo, com canetas esferográficas comuns sobre papel comum. Em outros casos usei materiais mais específicos como lápis pastel, canetinhas nanquim descartáveis, lápis 6B, 2B, lapiseira, lápis de cor normal, aquarelado, dentre outros. Experimente, tente encontrar o material e a mídia que mais se encaixam com suas necessidades e habilidades.
Exercício de sala de aula - Pincel para quadro branco sobre laminado melamínico e pintura digital em GIMP
  • Tipos de desenho - Vejam que os desenhos vão desde plantas, cortes e fachadas até perspectivas de móveis, ambientes urbanos, detalhes arquitetônicos e outros mais. Desenhar sempre te dará um conhecimento mais aprofundado daquilo que foi representado. Desenhe de tudo!
Estudos para residência unifamiliar - Unipin sobre papel sulfite e pintura com Sketchbook Pro

  • Traço - solto, irregular, as vezes pesado, as vezes leve, as vezes mais contido. O traço pode fazer o papel da textura, das tonalidades e das arestas. Tudo depende de sua habilidade com o instrumento e do amadurecimento gráfico. Desenhe bastante! Com o passar do tempo você perceberá uma nítida evolução. Basta ver o que aconteceu comigo!
Exercício de desenho de observação - Lapiseira sobre Moleskine
  • Acabamentos - Totalmente livre! Os materiais são os mais diversos e notem que os acabamentos dos desenhos estão longe de serem sofisticados. O importante é que o croqui passe a mensagem de maneira rápida, eficiente e objetiva.
Estudo para reforma de residência unifamiliar - Unipin sobre papel sulfite e pintura digital em GIMP
  • Temas - São os mais diversos! No meu caso vão desde cenas imaginadas até cenas reais que capturei in loco. No caso dos projetos o tema obviamente será o do edifício em questão, mas, dentro deste, diversos subtemas podem surgir. Você poderá fazer o croqui de uma casa e dos detalhes construtivos de sua escada, de seu telhado, de sua piscina e etc. Aqui é muito importante a pesquisa. Quando mais você souber sobre o tema mais verdadeiros serão seus desenhos. Pesquise!
Vista do Porto do Mucuripe - Unipion sobre papel texturizado e pintura em lápis de cor aquarelável
  • Escala e proporção - Fundamentais! Usando instrumentos de medida ou não, a proporção entre os elementos tem que ser mantida o mais fiel possível. Aqui é importante não confundir proporção com exatidão. O seu desenho pode ser feito totalmente de forma intuitiva e livre, mas as relações dimensionais entre os elementos devem ser respeitadas. Nos croquis de projetos quando estou, por exemplo, desenhando cortes, plantas e fachadas,  costumo usar o escalímetro apesar de também usar o desenho à mão livre.
Então é isso caros leitores!  Nada de inibição e/ou de preocupações excessivas na hora de desenhar croquis. Liberdade é a palavra chave. Aproveitem!

Ford 1929 desenhando na exposição mensal de automóveis antigos - Unipin sobre papel texturizado
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...